Um  turbo bem cuidado pode poupar-lhe uma reparação de 1000 euros e manter a sua viatura com um bom desempenho. As avarias no turbo tendem a dar muito despesa, mas com uma correcta utilização e manutenção a vida útil deste componente pode ser prolongada.

Seguindo alguns conselhos, evita-se uma avaria no turbo e a consequente deslocação a uma oficina automóvel. Com esta boa manutenção, qualquer turbo supera sem problemas e mantendo um bom desempenho a fasquia dos 300.000 Km.

Causas de Avarias no Turbo e Manutenção

SISTEMA LUBRIFICAÇÃO DO MOTOR

A principal causa de avarias no turbo é relacionado com o sistema de lubrificação do motor. Os rolamentos do turbo dependem de um fluxo constante de óleo limpo para funcionarem correctamente.

Diversos factores conduzem a falhas no sistema de lubrificação como uma manutenção incorrecta, óleo impróprio ou de baixa qualidade, filtro do óleo, condução severa ou simplesmente a idade do veículo contribuem para uma degradação no fornecimento de óleo ao turbo.

Em praticamente 90% dos turbos em produção possuem um corpo de rolamento em bronze que suporta o grupo compressor do turbo. As folgas existentes entre os componentes são muito apertadas portanto qualquer contaminante existente no óleo pode provocar danos muito rapidamente.

A melhor defesa a ter contra estes contaminantes no óleo é uma manutenção muito cuidada e programada.

Muitas vezes mesmo os intervalos de manutenção recomendados pelo fabricante podem não ser suficientes e a melhor forma é examinar o óleo visualmente e efectuar uma mudança de óleo e filtro quando o óleo deixar de apresentar a cor original e ficar preta.

As razões do óleo mudar de cor são várias. Mas uma das principais razões é que os óleos actuais têm um elevado valor de detergente, que tem como função manter o motor limpo por mais tempo.

Mas, infelizmente para os turbo-compressores, estes detergentes depositam um quantidade considerável de “sujidade” do motor no sistema de óleo.

Se não houver uma mudança de óleo após 5000 ou 6000 Km o óleo começa a ficar saturado com esta acumulação de sujidade e torna-se abrasivo para as tolerâncias de folga que existem dentro do turbo.

Portanto mudanças de óleo e filtro num curto intervalo de tempo auxiliam em muito o tempo de vida do turbo.

Em baixo alguns exemplos de carvão acumulado devido a mudanças de óleo pouco frequentes ou com óleo impróprio ou de má qualidade.

E alguns exemplos de contaminação de óleo

TEMPERATURA

Outra razão importante é a temperatura do motor. Actualmente os motores funcionam com temperaturas muito altas tanto na água como no óleo para auxiliar com as emissões poluentes e na economia de combustível.

Esta temperatura é muito rude para o óleo, causando alterações na sua estrutura molecular e que resulta numa redução dos níveis de lubrificação e viscosidade. Este aumento de temperatura é ainda agravado quando desliga o motor.

Além das frequentes mudanças de óleo é aconselhável deixar o motor a trabalhar entre 1 minuto a 2 minutos antes de o desligar principalmente se o motor esteve a funcionar a rotações elevadas.

Não nos podemos esquecer que os turbos rodam a rotações por minuto muito mais elevadas que um motor, entre 150.000 a 280.000 rpm (rotações por minuto). Portanto quando desligamos o motor estamos a “cortar” a lubrificação do turbo.

Exemplos de problemas por aquecimentos.

OBJECTOS ESTRANHOS

Uma causa de problemas no turbo-compressor é a entrada de objectos estranhos que entram pela entrada de ar vindos do filtro de ar ou através da entrada da turbina vindos da câmara de combustão do motor.

Sempre que fizer a manutenção do filtro de ar deve-se verificar qualquer falha na tubagem; sujidades, detritos, etc, que podem acidentalmente entrar na tubagem e que serão depois levados até ao compressor.

O compressor é uma peça delicada e qualquer sujidade irá influenciar a sua capacidade de funcionamento e criar um desgaste prematuro.

Do lado da câmara de combustão, o que potencialmente poderão causar algum problema são as velas de ignição ou algum sensor de oxigénio antes do turbo. A substituição destes componentes deve ser feita cumprindo restritamente as indicações do fabricante.

Velas incorrectas podem provocar numa detonação incorrecta na câmara, provocar sobre aquecimento e danificar tanto o motor como o turbo.

Exemplos de danos no turbo por entrada de objectos estranhos:

EXCESSO DE ROTAÇÃO

Excesso de rotação é uma avaria difícil de detectar. A velocidade do compressor ou a pressão é determinada geralmente por um actuador da válvula descarga que simplesmente regula a velocidade de rotação da turbina permitindo ou não a entrada dos gases do escape,

Esta pressão será difícil de controlar se houver uma fuga entre o compressor e o motor. Assim sendo a válvula de descarga irá manter-se erradamente fechada até o compressor conseguir ter a pressão que deveria ter.

Mesmo uma pequena fuga pode provocar que o turbo trabalhe 20% a mais do que deveria trabalhar, portanto deverá ter-se em conta a tubagem relativamente à pressão do sistema de escape, e ser feita uma inspecção de modo a verificar-se qualquer rasgo, abraçadeira mal apertada, etc.

O sistema de escape após o turbo-compressor precisa de ser inspeccionado regularmente.

O aumento da contrapressão devido a conversores catalíticos obstruídos ou danificados, ressonadores ou silenciadores diminuirá o fluxo de saída do motor e irá aumentar a temperatura dentro do compartimento de escape do turbo-compressor, o que contribui para a carbonização do óleo e também aumenta o risco de falhas ou fissuras nas juntas.

Evitar Avarias no Turbo – Mais Dicas

Qualidade do Óleo

A diferença entre um óleo de qualidade para um óleo de marca desconhecida por facilmente ultrapassar os 50€ por embalagem, valor que fará diferença em cada revisão conforme a recomendação do fabricante.

No entanto deve-se considerar que uma avaria no turbo, irá provocar um dano equivalente ao diferencial de 20 embalagens de óleo, e evitaria transtornos.

Avarias no turbo por excesso carvão

Temperatura de Funcionamento – Arranque

Uma das razões de uma mais rápida degradação do turbo é ligar-se o motor e iniciar a condução. Os carros hoje em dia são sofisticados e basta ligar o motor, engrenar a mudança e começar a conduzir.

Mas existem muitas coisas que acontecem ao ligar-se o motor, e uma das mais importantes é o fluxo de óleo que vai da bomba de óleo para o compressor. Ao ligar-se o motor existe um espaçamento de tempo entre o óleo ser bombeado até chegar ao turbo compressor.

Nesse espaço de tempo já o turbo está a girar a uma velocidade de rotação muito superior à do motor, e sendo o óleo o único lubrificante do turbo é importante permitir-se que o óleo chegue correctamente e com eficiência.

Deve-se portanto manter o motor em funcionamento durante 3 a 5 minutos com o veículo parado quando esteve parado por mais de 3 horas.

Entretanto, durante a utilização diária, se o motor esteve desligado por menos de 3 horas então reduzir o tempo até se iniciar a condução para pelo menos 1 minuto.

A razão deste procedimento é simples, a temperatura do óleo do motor.

Quando a temperatura do óleo é fria, pela razão do motor não ter estado em funcionamento, este é espesso e lento a fluir por todos os canais e locais onde tem de passar.

Um óleo espesso e lento não consegue fluir em todos os locais e folgas existentes no turbo, e porque o turbo está a rodar a velocidades elevadas os danos que se está a causar e a contribuir para avarias no turbo são elevadas.

A temperatura ideal do óleo para permitir uma boa lubrificação ronda entre os 82º C – 98º C, e num dia de frio pode por vezes demorar até 20 minutos a atingir esta temperatura.

Após ligar o motor e aguardar entre 3 a 5 minutos, permita-se então a iniciar a condução pelo menos durante 5 minutos sem acelerar mais do que 1/4 do acelerador.

Isto irá permitir o óleo aquecer até a temperaturas onde possui mais eficiência e fazer o seu trabalho de lubrificação correctamente.

Descarbonização do Motor

Se todos os cuidados em cima são importantes para se afastar de avarias no turbo, um dos principais conselhos é regularmente efectuar uma descarbonização.

Este procedimento permite além de retirar o carvão acumulado no turbo, também limpar todo o sistema, incluindo as válvulas EGR.

Além de poder ser feito nos nossos agentes, os nossos equipamentos permitem fazê-lo à porta do cliente, sem necessidade de desmontar nenhum componente do motor além de que é uma operação relativamente rápida.

Um motor de 2000 cm³ demora 1 hora a completar o processo de descarbonização e os ganhos em eficiência e redução de avarias é notável.

Avarias no turbo por excesso carvão

Conclusão

Avarias no turbo derivam de:

  • Lubrificação deficiente
  • Falta de manutenção
  • Entrada de objectos estranhos
  • Sobre rotação
  • Acumulação de Carvão

Deve-se portanto:

  • Utilizar óleos motor de qualidade
  • Substituir o óleo do motor e filtro de óleo com regularidade
  • Ter atenção na manutenção do sistema de Ar
  • Conduzir com as temperaturas ideais
  • Não desligar o motor de imediato após parar a viatura
  • Efectuar uma descarbonização do motor e turbo para evitar a acumulação de carvão.

Inclusive a revista espanhola Autofacil num pequeno artigo de 2014,recomenda a descarbonização do motor para evitar avarias no turbo.

Se notar um assobio excessivo, falta de potência, fumo azulado ou um consumo anormal de óleo de motor é essencial verificar de imediato o turbo-compressor, pois qualquer um destes sintomas é sinal de avaria e despesas em reparações.

Se este artigo foi útil, partilhe pelos seus amigos!